<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d8890843\x26blogName\x3dAtordoadas\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://atordoadas.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://atordoadas.blogspot.com/\x26vt\x3d7904952202693746813', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

quinta-feira, 26 de outubro de 2006

Dois Anos de Atordoadas...

O ATORDOADAS está de PARABÉNS!!!...
Pois é, já faz dois anos desde que comecei com esta brincadeira...
Faz dois anos que estou por aqui nesta loucura toda a que chamam de blog...
Dois anos basicamente de palermices... é o que penso deste blog... um rol de trivialidades sem importância...
Mas são as vossas gargalhadas que fazem com que eu continue por aqui.


Pronto, acho que já disse o suficiente, por isso vou servir-me duma fatia deste bolo tão saboroso, e como com a boca cheia não se fala, vou-me calar, e assunto resolvido.
Tenho que guardar alguma coisa para dizer no próximo aniversário...

Agora escolham uma fatia da parte do bolo que mais vos agradar, e saboreiem com "prazer"...


sábado, 21 de outubro de 2006

Formas de passar o tempo num Hipermercado


- Agarra em 24 caixas de preservativos e põe em vários carrinhos, aleatoriamente, quando a pessoa estiver distraída

- Programa os despertadores para tocarem de 5 em 5 minutos... trimmmm!!!

- Vai ao apoio a clientes e pergunta se te podem reservar um pacote de M&Ms

- Monta uma tenda na secção de campismo, diz aos outros clientes que vais passar a noite por lá. Convence as pessoas a trazerem almofadas da secção têxtil e a juntarem-se a ti

- Quando um funcionário te perguntar se precisas de ajuda, começa a chorar e a gritar: "Porque é que vocês não me deixam em paz?!?!!?!?"

- Encontra uma câmara de vigilância e usa-a como espelho enquanto tiras macacos do nariz

- Procura uma faca de trinchar bem afiada. Leva-a contigo durante todo o percurso das compras e vai perguntando aos funcionários se ali vendem anti-depressivos

- Desliza pela loja com um ar suspeito, enquanto cantas o tema da "Missão Impossível"

- Esconde-te atrás da roupa que está exposta em cabides e quando alguém estiver a ver os artigos grita "ESCOLHE-ME! LEVA-ME PARA CASA!"

- Quando alguém anunciar seja o que for no altifalante, deita-te no chão, em posição fetal, e grita: "NÃÃÃO! As vozes! Outra vez as vozes!"

- Vai ao provador de roupa. Fecha a porta, aguarda um minuto e depois grita: "Onde é que está o papel higiénico????!"

quarta-feira, 18 de outubro de 2006

Disfarce!!!...

Devido aos problemas que tem tido com os Muçulmanos o Papa Bento XVI radicou-se no Douro, onde tem andado disfarçado na faina das vindimas!!!...

domingo, 15 de outubro de 2006

Yoga Indiano vs Yoga Português

Esta postura requer considerável força na cabeça, ombros, e costas. Requer também anos de prática para se conseguir, e não deve ser praticada sem supervisão!!!

Como se vê o praticante Português está a executar esta posição de Yoga cumprindo todos os requisitos exigidos...

quarta-feira, 11 de outubro de 2006

Tiro pela culatra




sábado, 7 de outubro de 2006

Anedota da semana

Duas amigas casadas, totalmente bêbadas, sentiram uma vontade irresistível de fazer xixi.
Apavoradas e bêbadas, sem outra alternativa, pararam o carro e decidiram ir assim mesmo dar uma mija no cemitério.
A primeira foi, aliviou-se, e então lembrou-se que não tinha nada para se secar.
Pegou na cuequinha, secou-se e deitou-a fora.
A segunda, que também não tinha nada para se secar, pensou:
"Eu não vou deitar fora esta cuequinha caríssima e linda"
Então pegou na fita de uma coroa de flores, que estava em cima de um túmulo, e pô-la para não molhar a cuequinha.
No dia seguinte um dos maridos ligou para o outro e disse:

"A minha mulher chegou ontem a casa bêbada e sem cuecas... Acabei com o casamento!"
O outro responde-lhe:
"Tens sorte, a minha chegou a casa com uma faixa presa no rabo com a inscrição:

"Jamais te esqueceremos - Vagner, Moisés, Renato e todo o pessoal da faculdade"

"Enchi-a de porrada..."

quinta-feira, 5 de outubro de 2006

Psicologia infantil

O pai pergunta ao filho de 12 anos se ele sabe como são feitos os bebés e ele, desata a chorar e responde:
- Não quero saber! Promete que não me contas!
E o pai, espantado, pergunta porque razão o filho não quer saber e, ele ainda a chorar, responde:
- Quando eu tinha 6 anos contaram-me que não havia coelho da Páscoa, aos 7 descobri que não havia Fada Madrinha, e aos 8 contaram-me que o Pai Natal eras tu!
Se eu descobrir que os adultos não dão quecas... não tenho mais qualquer razão para viver!

terça-feira, 3 de outubro de 2006

Apenas a língua Portuguesa permite escrever isto...

Pedro Paulo Pereira Pinto, pequeno pintor, português, pintava portas, paredes, portais. Porém, pediu para parar porque preferiu pintar panfletos. Partindo para Piracicaba, pintou prateleiras para poder progredir. Posteriormente, partiu para Pirapora.
Pernoitando, prosseguiu para Paranavaí, pois pretendia praticar pinturas para pessoas pobres. Porém, pouco praticou, porque Padre Paulo pediu para pintar panelas, porém posteriormente pintou pratos para poder pagar promessas.
Pálido, porém personalizado, preferiu partir para Portugal para pedir permissão para Papai para permanecer praticando pinturas, preferindo, portanto, Paris.
Partindo para Paris, passou pelos Pirineus, pois pretendia pintá-los.
Pareciam plácidos, porém, pesaroso, percebeu penhascos pedregosos, preferindo pintá-los parcialmente, pois perigosas pedras pareciam precipitar-se principalmente pelo Pico, porque pastores passavam pelas picadas para pedirem pousada, provocando provavelmente pequenas perfurações, pois, pelo passo percorriam, permanentemente, possantes potrancas. Pisando Paris, permissão para pintar palácios pomposos, procurando pontos pitorescos, pois, para pintar pobreza, precisaria percorrer pontos perigosos, pestilentos, perniciosos, preferindo Pedro Paulo precaver-se.
Profundas privações passou Pedro Paulo. Pensava poder prosseguir pintando, porém, pretas previsões passavam pelo pensamento, provocando profundos pesares, principalmente por pretender partir prontamente para Portugal. Povo previdente! Pensava Pedro Paulo...
Preciso partir para Portugal porque pedem para prestigiar patrícios, pintando principais portos portugueses.
- Paris! Paris! Proferiu Pedro Paulo.
- Parto, porém penso pintá-la permanentemente, pois pretendo progredir.
Pisando Portugal, Pedro Paulo procurou pelos pais, porém, Papai Procópio partira para Província. Pedindo provisões, partiu prontamente, pois precisava pedir permissão para Papai Procópio para prosseguir praticando pinturas. Profundamente pálido, perfez percurso percorrido pelo Pai. Pedindo permissão, penetrou pelo portão principal. Porém, Papai Procópio puxando-o pelo pescoço proferiu:
- Pediste permissão para praticar pintura, porém, praticando, pintas pior. Primo Pinduca pintou perfeitamente prima Petúnia. Porque pintas porcarias?
- Papai, proferiu Pedro Paulo Pinto, porque permitiste, porém, preferindo, poderei procurar profissão própria para poder provar perseverança, pois pretendo permanecer por Portugal.
Pegando Pedro Paulo pelo pulso, penetrou pelo patamar, procurando pelos pertences, partiu prontamente, pois pretendia pôr Pedro Paulo para praticar profissão perfeita: Pedreiro!
Passando pela ponte precisaram pescar para poderem prosseguir peregrinando. Primeiro, pegaram peixes pequenos, porém, passando pouco prazo, pegaram Pacus, Piaparas, Pirarucus. Partindo pela picada próxima, pois pretendiam pernoitar pertinho, para procurar primo Péricles primeiro. Pisando por pedras pontudas, Papai Procópio procurou Péricles, primo próximo, pedreiro profissional perfeito.
Poucas palavras proferiram, porém prometeu pagar pequena parcela para Péricles profissionalizar Pedro Paulo. Primeiramente Pedro Paulo pegava pedras, porém, Péricles pediu-lhe para pintar prédios, pois precisava pagar pintores práticos. Particularmente Pedro Paulo preferia pintar prédios. Pereceu pintando prédios para Péricles, pois precipitou-se pelas paredes pintadas.
Pobre Pedro Paulo, pereceu pintando...
Permita-me, pois, pedir perdão pela paciência, pois pretendo parar para pensar... Para parar preciso pensar. Pensei.
Portanto, pronto pararei.

E achamos nós o máximo quando conseguimos dizer:
"O Rato Roeu a Rica Roupa do Rei de Roma!"