<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d8890843\x26blogName\x3dAtordoadas\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://atordoadas.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://atordoadas.blogspot.com/\x26vt\x3d7904952202693746813', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

quarta-feira, 30 de novembro de 2005

Presidenciais

Cavaco Silva e Mário Soares declinaram o convite para participarem no programa Levanta-te e ri!.

Um consegue levantar-se mas não ri...
O outro ri mas não se consegue levantar...

quinta-feira, 24 de novembro de 2005

Novo Modelo TOYOTA (Made in Angola)

terça-feira, 22 de novembro de 2005

A palavra mais versátil da língua portuguesa

Chega-se à conclusão que deve ser a palavra mais versátil da língua portuguesa!
O uso do vocábulo MERDA é uma questão de educação.
Ninguém pode negar que o utilizamos para múltiplas circunstâncias, relacionadas com muitíssimas coisas.

Por exemplo:

Orientação geográfica:
- Vai à merda!

Adjectivo qualificativo:
- Tu és uma merda!

Momento de cepticismo:
- Não acredito nesta merda!

Desejo de vingança:
- Vou fazer-te em merda!

Acidente:
- Já fizeste merda!

Efeito visual:
- Não se vê merda nenhuma!

Sensação olfactiva:
- Cheira a merda...

Dúvida na despedida:
- Por que não vais à merda?

Especulação de conhecimento
- Que merda será isto?

Momento de surpresa:
- Merda?

Sensação degustativa:
- Isto sabe a merda!

Desejo de ânimo:
- Rápido com essa merda!

Situação de desordem:
- Isto está uma merda!

Rejeição, despeito:
- O que é que esse merdas pensa?

Para descobrir o paradeiro de qualquer coisa:
- Não sei onde foi parar aquela merda...

Interjeição comum:
- Que merda!

Crise das 17h30:
- Vou-me embora desta merda!

Futebol
- Isto parece o S. L. Benfica!

sábado, 19 de novembro de 2005

Cinderela dos tempos modernos

Há bué da time, havia uma garina cujo cota já tinha esticado o pernil e que vivia com a chunga da madrasta e as melgas das filhas dela. A Cinderela (Cindy p'ós amigos), parecia que vivia na prisa, sem tempo para sequer enviar uns mails. Com este desatino todo, só lhe apetecia dar de frosques, porque a madrasta fazia-lhe bué da cenas. É então que a Cindy fica a saber da alta desbunda que ia acontecer: Uma rave!!!

A gaja curtiu a ideia, mas as outras chavalas cortaram-lhe as bases. Ela virou a boneca! Mas depois de andar à toa durante uma beca, apareceu-lhe uma fada bacana que lhe abichou uma farda fixe, aí ela ficou a parecer um granda naco. Só que ela só se podia afiambrar da cena até ao bater das 12. Tás a ver?

A tipa mordeu o esquema e foi para a borga sempre a bombar. Ao entrar na party topou um bacano cheio da papel, que era bom com'ó milho e que também a galou logo ali. Aí, a Cindy passou-se dos carretos, desbundaram "ól naite long", até que ao ouvir as 12, ela teve de se axandrar e bazou.

O mitra ficou completamente abardinado quando ela deu de frosques e foi atrás dela, mas só encontrou pelo caminho o chanato da esgroviada.

No dia seguinte, com uma alta fezada, meteu-se nos calcantes e foi à procura de um chispe que entrasse no chanato. Como era um alto cromo, teve uma vaca descomunal e encontrou a maluca, para grande desatino das outras fatelas que ficaram anhar.

quarta-feira, 16 de novembro de 2005

Fim de festa... Ninguém te quis...

domingo, 13 de novembro de 2005

A Bíblia revisitada... pela gripe aviária!!!

quinta-feira, 10 de novembro de 2005

Conversas entre objectos ...





sexta-feira, 4 de novembro de 2005

Saber viver e ser reconhecido é uma arte

Um fazendeiro coleccionava cavalos e só lhe faltava uma determinada raça.
Um dia descobriu que o seu vizinho tinha este determinado cavalo.
Assim, ele atazanou o vizinho até conseguir comprar-lhe o cavalo.
Um mês depois cavalo adoeceu, e ele chamou o veterinário:
- Bem, o seu cavalo está com uma virose, precisa tomar este medicamento durante 3 dias, no terceiro dia eu voltarei e caso ele não esteja melhor, será necessário sacrificá-lo.
O porco escutou toda a conversa. No dia seguinte, deram o medicamento ao cavalo e foram embora.
O porco aproximou-se do cavalo e disse-lhe:
- Força amigo! Levanta-te daí, senão serás sacrificado!!!
No outro dia, deram novamente o medicamento ao cavalo e foram embora.
O porco aproximou-se do cavalo e disse-lhe:
- Vamos lá amigo, levanta-te senão vais morrer! Vamos lá, eu ajudo-te a levantar... Upa! Um, dois, três...
No terceiro dia deram o medicamento ao cavalo, e o veterinário disse:
- Infelizmente, vamos ter que sacrificá-lo amanhã, porque a virose pode contaminar os outros cavalos.
Quando foram embora, o porco aproximou-se do cavalo e disse-lhe:
- É agora ou nunca, levanta-te já! Coragem! Upa! Isso, devagar! Óptimo, vamos, um, dois, três, boa, boa, agora mais depressa vai...venceste, conseguiste Campeão!!!
Então de repente o dono chegou, viu o cavalo a correr no campo e gritou:
Milagre!!! O cavalo melhorou. Isto merece uma festa...
"Vamos matar o PORCO!!!"

Isso acontece muito dentro de qualquer empresa e ninguém percebe, quem é o funcionário que merece o mérito pelo sucesso. Por isso eu digo que...
"Saber viver e ser reconhecido é uma arte"

quarta-feira, 2 de novembro de 2005

O Diário DELA vs O Diário DELE

O DIÁRIO DELA

Hoje à noite ele estava estranho.
Combinámos encontrar-nos no bar por volta das 21.30h para tomar um copo. Passei a tarde toda nas compras com as minhas amigas e pensei que pudesse ser por minha culpa, porque me atrasei um bocadinho, mas ele não fez grandes comentários.
A conversa não estava muito animada, de maneira que pensei em irmos a um lugar mais íntimo para podermos conversar mais em privado. Fomos a um restaurante e ele ainda a agir de modo estranho. Tentei animá-lo e comecei a pensar se seria por minha causa ou outra coisa qualquer. Perguntei-lhe, e ele disse que não era eu. Mas não fiquei muito convencida.
No caminho para casa, no carro, disse-lhe que o amava muito e ele limitou-se a pôr-me o braço por cima dos ombros. Não sei que raio quis dizer com isso, porque não disse que me amava também, nem nada, e estava a ficar mesmo preocupada.
Finalmente chegámos a casa e eu já estava a pensar se ele me iria deixar!
Por isso tentei fazê-lo falar, mas ele ligou a televisão, e sentou-se com um olhar distante que parecia estar a dizer-me que estava tudo acabado entre nós.
Por fim, embora relutante, disse que me ia deitar. Mais ou menos 10 minutos depois ele veio também e, para minha surpresa, ele correspondeu aos meus avanços e fizemos amor.
Mas ainda parecia muito distraído, e depois quis confrontá-lo e falar sobre isso, mas comecei a chorar e chorei até adormecer. Já não sei o que fazer.
Tenho quase a certeza que ele tem alguém e que a minha vida é um autêntico desastre.


O DIÁRIO DELE

O Porto perdeu com o Inter... Mas dei uma foda!!!